22 de fevereiro de 2015

Contrafortes dos Andes - Roteiro e Distâncias


Dia 01 - De Casa a Resistencia/Chaco - 1000km e o Darci 1080km (amarelo no mapa);
Dia 02 - De Resistencia/Chaco a Tafí del Valle/Tucuman - 850km (verde claro no mapa);
Dia 03 - De Tafí del Valle/Tucuman a Cafayate/Salta - 150km (roxo no mapa);
Dia 04 - Cafayate/Salta a Cachi/Salta - 200km estrada de terra (azul no mapa);
Dia 05 - Dia de descanço em Cachi/Salta - 0km;
Dia 06 - Cachi/Salta a Purmamarca/Jujuy - 350km (vermelho no mapa, com verde sobrepondo no trecho final);
Dia 07 - Purmamarca/Jujuy a Presidencia Roque Saenz Peña/Chaco - 750km (verde escuro no mapa);
Dia 08 - Presidencia Roque Saenz Peña/Chaco a Santiago/RS - 750km (mesmo caminho da ida);
Dia 09 - Santiago/RS a Casa - 420km e o Darci 480km (mesmo caminho da ida).

Nos 9 dias da viagem foram rodados 4500 km, sendo que o Laranja Mecânica fez 160km extras. A altitude máxima alcançada foi de 3348 metros. Como tínhamos um bebê junto, ir mais alto não estava em nossos planos, e foi daí que saiu o nome da expedição. Realizada com dois veículos 4x4 e tripulação de 4 pessoas e meio. Foi uma viagem excelente! Que venha a próxima...



Cada dia uma cor diferente.


Mapa de satélite.


Visão panorâmica do trecho nos Contrafortes dos Andes.


Subindo até Tafí del Valle e a Abra del Infiernillo a 3042m. Mais alta estrada na Província de Tucuman.


Abaixo o Lago La Angostura até a Abra del Infiernillo.


Descendo ao Valle Calchaqui.


Nosso roteiro dentro do Valle Calchaqui. Em azul é trecho sem pavimentação.


Nosso desvio para poder chegar até a Bodega Colomé. Em azul é trecho sem pavimentação.


Descendo os Andes pela Cuesta del Obispo, onde infelizmente as nuvens e neblina bloquearam nossa visão.
Trecho de descida também sem pavimentação. Altitude de 3348 metros.


Subindo a Quebrada de Humahuaca em Jujuy. O ponto vermelho é Purmamarca.






Contrafortes dos Andes 8º e 9º Dia

8º Dia - 21/02/2015

Amanheceu no Chaco! Tomamos nosso café da manha, pegamos água pro mate e pé na estrada! São mais 200 km de linha reta na Ruta 16 pelo Chaco até ao imenso Rio Paraná. Bastante tráfego sábado de manha por este trecho e inusitadamente vimos o primeiro e único radar de velocidade da viagem. Inofensivo, pois quando tem polícia o trânsito quase para...

Passamos na gigante ponte sobre o Rio Paraná e na borbulhante cidade de Corrientes. Pela Ruta 12 fizemos 260 km de retas sempre margeando o Rio Paraná e depois mais 140 km pelas Ruta 120 e 14 até a Ponte Internacional da Integração, entre Santo Tomé e São Borja.

Os trâmites nessa aduana como sempre muito rápidos e nós felizes por já estar rodando em Terra Brasilis! Sempre dá um sentimento de conforto e a impressão que já estamos em casa, mas calminha aí, que tem bastante chão pela frente! E assim fomos até Santiago, no cair da tarde, depois de rodar por 750km, pra mais uma noite de descanço. Fomo caminhando pra jantar e encontramos um lugar bem legal, que não lembro o nome. Na hora de ir embora São Pedro mandou chuva, então voltamos de taxi. ;)


9º Dia - 22/02/2015

Um belíssimo café da manha bem brasileiro e farto! Pé na estrada até Santa Maria. Nos despedimos do Darci e a Lurdes no mesmo posto onde nos conhecemos. Andamos mais um pouco e no próximo trevo vimos o Laranja Mecânica sumindo na distância. Os rádios comunicadores que usamos pra conversar durante toda a viagem ainda funcionaram por mais um pouco e assim cada um seguiu seu caminho. Neste domingo a chuva nos acompanhou o dia todo. Enfim chegamos em casa!!!

E assim termina nossa Expedição Contrafortes dos Andes! Foi um sucesso! Tudo funcionou como esperado, cumprimos nossos objetivos e vivemos ótimos dias em bela companhia. Obrigado a todos!



Hotel Atrium Gualok.


Bernardo faceiro!


Ponte General Manuel Belgrano sobre o Rio Paraná, ligando o Chaco a Corrientes.


Gauchito Gil!


Enocompras da viagem!






20 de fevereiro de 2015

Contrafortes dos Andes 7º Dia

Está na hora de voltar pra casa! Mas pra isso precisamos descer os Andes e cruzar o continente em direção leste. O retorno está previsto pra durar 3 dias por longas e cansativas retas. Desayuno com nossos conterrâneos, agua pro mate aquecida e vamsimbora! Mais uma fotos do Cerro de Siete Colores, aproveitando nesse horário a luz direta do sol, que o deixa ainda mais colorido. Nossos amigos partiram direto pois pretendem retornar em apenas dois dias e não podem perder tempo.

Curtimos os últimos momentos nos Andes enquanto descíamos pela Ruta 9. Cruzamos novamente por San Salvador de Jujuy, depois pelo acesso a capital de Salta e logo na frente a esquerda acessamos a interminável, cansativa, monótona e retíssima Ruta 16, atravessando a imensa planície Chacopampeana.

No fim da tarde, depois de percorrer 750 km estávamos em Presidencia Roque Saenz Peña, Província del Chaco. Atravessamos o agitado centro da cidade, até o Hotel Atrium Gualok, que tinha ouvido falar bem e gostaria de conhecer. Moderníssimo e cheio de obras de arte, hesitamos em entrar pois certamente estaria além do nosso orçamento. Lembrando que a viagem estava chegando ao fim e o dinheiro também! Mesmo assim fomos perguntar o preço e "surpresa"! Inacreditável o que o nosso dinheiro vale por aqui. Essa é mais uma das explicações de porque gosto tanto de viajar na Argentina. Escolho muitas vezes os melhores restaurantes, hotéis interessantes, passando bons momentos sem agredir o bolso! :)
Tem também boas estradas sem tráfego, trechos sinuosos de montanha, os Andes, os vinhos, blá blá blá...

Tivemos tempo ainda de passear a pé na cidade e tomar um sorvete no Grido antes de anoitecer. Compras no mercado pra aproveitar os preços e aliviar o "peso" das carteiras. Depois uma bela janta no Restaurante Bien José e o merecido descanso!


O dia ta começando a clarear no nosso hotel com vista pra Via Lactea.


Amanhecer Parte 2.


Amanhecer Parte 3.


Brasileirada reunida! Tá faltando o Darci, mas alguém tinha que fazer a foto!


Será que vai chover na Quebrada de Purmamarca?


Cerro de Los Siete Colores e os outros cerros andinos.


Sentindo-se livre depois de ficar o dia inteirinho sentado na mesma posição!


Nave central do Hotel Atrium Gualok.


Não sei em homenagem a quem seriam essas estátuas, mas suponho que sejam a dois Generais argentinos! :) 


Que hay para cenar?


Bife de chorizo!







19 de fevereiro de 2015

Contrafortes dos Andes 6º Dia

Desayuno feito, água pro mate aquecida e pé na estrada!
Pra sairmos do Vale Calchaqui partindo daqui de Cachi temos que subir alguma dessas encostas que nos rodeiam, sem importar pra qual lado vamos, ou então retornar pro sul até Cafayate onde o Rio de Las Conchas rasga a montanha na Quebrada de las Conchas. Portanto vamos subir!

Seguimos em frente pela Ruta 40 até Payogasta onde pegamos a Ruta 33 que aponta direto pro leste encosta acima. A altitude sobe rápido e a paisagem é tomada por milhares de cardones espalhados até onde a vista alcança pelo altiplano e montanhas. Aqui é o Parque Nacional Los Cardones! Realmente cardones não faltam...

Cruzando o parque a 3.000 metros de altitude tem um trecho interessante chamado Recta del Tin Tin com 19km. Foi traçado a mais de 500 anos como parte do Camino del Inca. Chama a atenção a precisão desta linha feita sem os atuais equipamentos de medição. Segundo dizem, os incas usaram na época fogueiras para delinear e criar essa reta perfeita.

Seguimos subindo e aos poucos uma densa neblina foi tomando conta de tudo. A visibilidade caiu bruscamente e altitude subiu até os 3.348m na Piedra del Molino. Era pra estarmos vendo uma paisagem deslumbrante da Cuesta del Obispo com a estrada que agora é de terra e desce serpenteando por encostas íngremes Andes abaixo. A neblina virou chuva e seguimos descendo e contornando infinitas curvas. Parou a chuva, o asfalto recomeçou e a descida continuou ainda por um longo e demorado trecho. Estamos descendo os Andes e não uma serrinha qualquer. :)

Pegamos agora Ruta 68 em direção a capital Salta por uma região bem povoada com muito trânsito, sinaleiras, etc. Abastecemos na saída de Salta e pé na estrada em direção a Jujuy, Agora pela Ruta 9 e depois a 34 podemos andar em alta velocidade e em pouco tempo estamos na capital San Salvador de Jujuy pra abastecer novamente.

Agora subiremos a cordilheira mais uma vez até Purmamarca a 2400m de altitude. Entramos pela famosa Quebrada de Humahuaca e a medida que subimos a paisagem vai ficando árida. Nosso hotel fica além da cidadezinha, um pouco mais alto e com uma bela vista panorâmica da Quebrada de Purmamarca. Depois do check-in voltamos ao vilarejo pra explorar um pouco suas ruas e arredores além do artesanato local que é bem variado.

Enquanto andávamos pelas ruas estreitas e empoeiradas e cheias de turistas avistei meus amigos de Portão. Combinamos por telefone de se encontrar no hotel. Bem legal encontrar o Canário, a Cristina e o Flavio e a Jane na rua a milhares de quilômetros da nossa cidade nesse ambiente bem diferente.

Nesta noite tivemos uma calorosa janta no Hotel Luna Daniela da amiga Silvia Fagiani com a mesa repleta de amigos brasileiros! Do lado de fora frio, o céu estrelado e as montanhas iluminadas pela lua.


Viaturas deixando o Vale Calchaquies. O Nevado de Cachi se impondo na paisagem.


Parque Nacional Los Cardones!


Cardones pra todos os lados!


Recta del Tin Tin com 19km a 3.000m altitude.


Cardones até onde a vista alcança.


Recta del Tin Tin no fim.


Será que a gravidade aqui é diferente!?!


Guanacos e neblina.


Piedra del Molino e a Capela a 3348m de altitude. Agora é só descer!



Comprando maças andinas no ponto onde o asfalto recomeça.


Laranja Mecânica!


Entre uma curva e outra, um gole de chimarrão.


Trecho estreito da Ruta 33 na Quebrada de Escoipe.


Descendo, descendo e descendo.


Entrando na Quebrada de Humahuaca.


Denise e Benardo.


Viaturas ao lado do Rio Grande.


Expedicionários no cartão postal de Purmamarca.


Purmamarca!


Selfie! :)


Cerros multicoloridos.


Trilhando.



Senderos de Purmamarca


Mescla de cores.


Purmamarca lá embaixo.


Artesanatos.


Pasta asada con queso y jámon? Como chama mesmo? Só sei que estava bem bom!


Construções de adobe e madeiras do teto em cardo.


Anoitecendo e ficando friozinho...


Terraza con vista para los cerros.


Mais um vinho do Vale Calchaqui.


Brasileirada reunida no Luna Daniela!



Contrafortes dos Andes - 7º Dia